sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Um novo método

Sei lá se já estou enchendo o saco com esse assunto, mas pra quem tem bebê pequeno ou ainda está gávida, talvez ajude na educação do pimpolho.

O plano de passar o Rapha pro quarto dele falhou. Meu marido não gostou da ideia, porque meu apartamento é muito quente e o Rapha já está acostumado a dormir no ar condicionado. E pra complicar tudo, ele ficou gripadinho, ta super enjoadinho, o que deixa esse momento péssimo para fazer isso. Mas, mesmo assim, não desisti de primeiro acostumá-lo novamente no berço, mesmo que esteja no meu quarto. Comecei ontem. Ele dorme no berço, mas a primeira vez que acorda não quer mais ficar lá. Chora, berra e grita até que eu coloque ele pra dormir com a gente na cama. Ontem, eu terminei com isso. Ele dormiu as 8, acordou 23 e eu dei mama porque ele dormiu muito cedo e, certamente, acordou com fome. Depois que ele terminou de mamar, coloquei-o no berço acordado... Começou a gritaria... Ele ficava em pé e estendia os braços para eu pega-lo chorando "mama" mama". Bem dificil. Peguei-o, acalmei, enchi de beijo, dei mais um pouquinho de mama. Repeti umas três vezes, até que ele ficasse no berço sem chorar e estivesse tranquilo para dormir em paz.

À 1:20, ele acordou novamente, porque faltou luz no apartamento e começou uma gritaria lá embaixo. Sem contar o calor. Tadinho, acordou suando. Repeti o processo do parágrafo acima até que ele dormisse. Após, ele despertou novamente as 5:40 e eu fiquei com pena de deixá-lo chorando mais uma vez e coloquei-o para dormir comigo.

Hoje, ele dormiu as 9. Minha dentista me ensinou um método que me pareceu mais agradável e menos doloroso. Consiste em retirar o bebê do berço toda vez que ele chorar muito e coloca-lo de novo depois que já estiver calmo. Eu fiz isso e durou cerca de uma hora para ele adormecer. Mas meu coração ficou em paz, porque ele dormiu comigo ao seu lado, fazendo cafuné e cantando. Ele podia estar fora do peito, mas sabia que eu estava ali, sem deixá-lo sozinho.

Vou repetir a dose durante a madrugada.

Cada bebê é um bebê e cabe a mãe decidir qual o método que o seu filho vai sofrer menos. Educar é preciso e indispensável, mas temos que analisar a melhor forma para o nosso filho, pois cada um tem uma personalidade. O Rapha é um bebê super sensível. Adora carinho, adora ser beijado e ele é muito carinhoso tb. Só para vocês terem uma noção, pela manhã, o Rapha fica acordado comigo na cama, deitado cerca de uma hora, me olhando, eu fazendo cheirinho, enchendo-o de beijo, fazendo carinho nas costas, nas orelhas. Ele adora. Fica quietinho, abraçadinho comigo. Quando alguém ta brincando com ele e sai para beber agua, por exemplo, ele chora, fica sentido. Então, olhando por esse lado, deixá-lo chorar não é muito adequado. Até porque, eu acho que foi por isso que ele ficou dodoi. Minha dentista me contou que quando usou esse método com o filho dela, ele tb ficou doente uma semana.

2 comentários:

AngelMi disse...

Deby,
Tb prefiro o método recomendado pela dentista. Meu pai sempre conta que fazia assim. Minha mãe queria que acostumássemos em nossos quartos, com as novas camas mas ela aquele chororô. Meu pai, bem mais paciente, fazia assim, deixava ficar com eles muitas vezes até pegarmos no sono. Depois, quando acalmássemos, íamos pro nosso cantinho.
Também prefiro assim e olha que o Pedro nem fala mamãe ainda... deve realmente partir o coração.

Laiz Malafaia disse...

esse menino daqui a pouco entra na puberdade e eu só falei com ele 1 vez na vida! que tia desnaturada...

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...